Índice do Batôn...


O Índice do Bâton é um dos mais fiáveis barómetros financeiros para avaliar a intensidade de uma crise. É muito mais sexy que as curvas do PSI-20, PIB, produção industrial e confiança dos consumidores que, enfeitiçados pela força de gravidade, não cessam de mergulhar em direcção ao centro da Terra.

Este índice, baptizado pelo presidente da Estée Lauder, baseia-se na evidência estatística de que as vendas de cosméticos sobem em razão proporcional à queda do poder de compra dos consumidores, e mede a percepção que a metade mais instintiva da humanidade (as mulheres) tem da profundidade da crise.

Em tempos de incerteza, por prudência ou absoluta falta de fundos, em vez de comprarem umas botas ou um vestido novo, as mulheres refugiam-se em artigos mais baratos, os cosméticos, que lhes permitem sentirem-se bonitas e atraentes. Pintar as unhas e os lábios fica muito mais barato do que comprar um casaco Max Mara - e não deixa de produzir o seu efeito.

A seguir ao 11 de Setembro de 2001, as vendas de cosméticos duplicaram. Foi a definitiva prova dos nove da fiabilidade do Índice do Bâton, que passou ser usado por jornais como o Financial Times, que acaba de agravar o pânico ao revelar que as vendas de cosméticos dispararam 40% nos últimos meses.

O Índice do Bâton encerra uma lição de importância fulcral: em momentos de crise temos de manter um bom aspecto exterior e aparentar que tudo nos corre às mil maravilhas. Senão vejamos. Encontra, na rua, um amigo com um ar desmazelado. Pergunta-lhe pela vida e apanha com um dramalhão: a mulher está a fazer "quimio" no IPO, o filho deixou os estudos, a sogra mudou-se lá para casa, e, como se isto não bastasse, ele ficou desempregado porque o sacana do chefe... É fatal como o destino que nunca mais vai atender o telemóvel deste chato, com medo que lhe vá pedir dinheiro ou um emprego. Como as pessoas fogem da desgraça e miséria, faz todo o sentido camuflá-las. É neste sentido prático de sobrevivência que se baseia a infalibilidade do Índice do Bâton.

Não acho, por isso, pertinentes as críticas ao cheque-prenda de 2550 euros, para gastar na Fashion Clinic (representada pela Paula Amorim, a filha de Américo), que os membros do Governo ofereceram a Sócrates pelo Natal. Nestes tempos de crise e incerteza, temos toda a vantagem em que o nosso primeiro-ministro ande bem ataviado nos seus périplos por Caracas, Tripoli, Luanda e Bruxelas. Sócrates faz bem em não poupar na cosmética - vestindo bons fatos, aligeirando com palavras optimistas a retórica da crise, abonecando os relatórios dos bancos e arejando as máquinas dos empreiteiros.

O problema é que tudo isso é importante, mas não passa de cosmética, de aparências que não conseguem enganar o Índice do Bâton. Para a economia portuguesa ultrapassar a crise, é vital diminuirmos o alarmante défice das transacções correntes. E para isso temos de seguir o conselho sábio de Daniel Bessa: "Precisamos como de pão para a boca de pôr dinheiro em coisas que exportem."



Pressa...


Não posso escrever posts longos, senão roubo horas ao sono, a minha pele envelhece e ninguém terá fetiches com as minhas mãos.

Eis a razão da minha ausência...


As palavras não são apenas uma fonte de mal-entendidos, como confidenciava a raposa ao rapaz de cabelos loiros parecidos aos campos de trigo, que nada lhe diziam até o ter encontrado.

As palavras são a vida de quem nunca a viveu.

Quem descreve a sua vida em meia dúzia de letras amontoadas num claro sentido, não vive. Imagina a vida que não tem e gostaria de ter.

Refugia-se naquelas traições, que além de o/a enganerem lhe roubam o tempo para realmente poder viver o que tanto descreve como seu.

As palavras reduzem a cinzas a imensidão de emoções que nos preenchem na vida que ocupamos com sentimentos em vez de letras seguidas numa qualquer língua que dizemos materna, mas de maternal também tem muito pouco.

Porque a vida é demasiado cheia para ser apenas transcrita em palavras bonitas que se debitam num blog.

A vida vive-se, as palavras apenas a (D)escrevem...

Felicidade é...


... Ter a possibilidade de:


1. Tirar a sexta-feira de férias.

2. Conduzir 500 km com um radioso dia de sol e fazê-lo de manga curta e óculos de sol na cara.

3. Levantar um cheque com 4 dígitos bem redondinhos e chorudos.

4. Lanchar à beira-mar.

5. Jantar num dos restaurante favoritos e gastar uma pequena parte do cheque nisso. (Mínima, felizmente!)

6. Acordar depois das 11h da manhã.

7. Passar uma manhã sentada na areia do Guincho a ler, com uma temperatura agradável e sem sentir frio.

8. Almoçar na Marina de Oeiras.

9. Ir ao cinema ver o Grande Vencedor dos Óscares deste ano e um filme mais modesto, mas ainda assim com um Óscarzito.

10. Jantar a nossa comida favorita, no sítio de sempre.

11. Almoçar em Carcavelos, com uma maravilhosa vista do mar, já perto das 3h da tarde.

12. Ver Stomp, numa das melhores filas do Coliseu.

13. Passar a manhã em Serralves, com entrada gratuita.

14. Ir ver Palmilha Dentada, ainda por cima na primeiríssima fila!

15. Comprar um livro em Saldos, que queria já ter lido.

16. Ser feliz desta maneira!

Mandamentos do Blog de Sucesso...



1. Ter um blog cujo nome comece por A, B ou C. Ou então por símbolos. Acresce substancialmente o número de visitas.


São sempre os primeiros da lista e como tal os primeiros que se lêem quando se quer actualizar leituras em atraso.


No Dia em que foi impossível arranjar uma mesa decente para jantar...


... Eu ofereci isto:






... E em troca, recebi isto:







... E isto:









A moldura já experimentei e fica lindamente no meu quarto. Já o 2º presente daria vários posts por si só.

Um dia lá chegaremos...




The old excuse - Que em inglês é mais giro!


Ando a trabalhar cerca de 12h por dia...


Obviamente que com esta enormidade de trabalho, não há tempo para bloggar!


My perspective...


Diz o ditado que quando se fecha uma porta, a seguir abre-se uma janela.


Diz-me a experência que por vezes é melhor.


Porque na maioria dos (meus) casos, a janela é uma clarabóia com vista para o céu, enquanto a porta fica num vão de escada, com muitos degraus até uma rua rodeada de betão...


Pré-Conceito...


De cada vez que vejo alguém com cartas ou cheque do BPN, não evito pensar que só alguém tão corrupto como os ex-Administradores dessa instituição é que podiam e podem ter conta nesse banco.




Dualidades...



Apesar de ter 38,5ºC de febre, tenho os pés gelados!


As gajas são mesmo uma contradição...


O Dia do Amor em Nome de um Comércio Maior...


Meus caros e Minhas Caras:


Faltam neste momento, menos de duas semanas para o Dia do Amor em nome de um Comércio Maior, a.k.a. Dia dos Namorados.


Assim sendo, lanço-vos um desafio...


Digam-me lá, homens e mulheres de bom gosto que lêem este blog, que presente gostariam de receber neste dia do vosso Príncipe Encantado ou da vossa Cinderela?


P.S. Sim, preciso de ideias para presentes, mas sim também me apetecia escrever um post com base nas vossas evidências.

Vá lá, participem e deixem-me estudar as diferenças entre sexos...

Tudo em nome da Ciência...

Melhor ideia de sempre:

The Sapio Sexual Summit.