Oh para mim armada em p*t@

Bem, assim de repente, e numa rápida incursão pelos arquivos da memória, fica claro que todos temos pelo menos um estropício na vida. E o estropício [vulgo lambe cus, vulgo deixa-me cá entalar o colega para mostrar ao chefe quão bom eu sou, vulgo sou capaz de matar o pai e a mãe para dizer que sou órfão] é uma figura impar e única. Afinal são os estropícios que dão outra animação à coisa. Vai que na vida até era assim tudo fácil, an. Sem uma criatura destas para animar o dia. Um tédio, portanto. Eu tenho vários estropícios de estimação e confesso que há dias em que me divirto com isso.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Eu:

Porto (de Abrigo)