Do vizinho jeitoso e giro!

Eu até o desculpei por ter armários da cozinha cor-de-rosa com umas luzes em forma de estrela penduradas por baixo.

Mas lençóis cor-de-rosa estendidos???

Isso já ultrapassa qualquer explicação heterossexual. Ele é mesmo gay não é?

Tenho mesmo...

... De actualizar este texto!

Mas o que é isto???

O meu skype deve ter vírus. 
Estou farta de receber pedidos de contacto de gente estranha da China, Argélia e sei lá mais o quê. Pessoas que nunca vi ou ouvi falar. E depois ainda me mandam corações e beijos e coisas surreais.
O pior é que só uso o skype para coisas profissionais o que ainda me assusta mais se pensar como raio atraí tanto bicho estranho aqui.
Mais alguém já sofreu disto ou sou só eu?

O meu presente de Natal para vocês!


É fofinho e simples!
A partir de agora podem seguir o meu blog no vosso telemóvel, isto se tiverem um Nokia! Porque passou a ser possível fazer o donwload de uma aplicação do blog através da Ovi Store, a loja online da Nokia.
E não! Não ganho rigorosamente nada com isso. Ganham vocês!
E como já deviam saber eu faço tudo em prol do bem da Humanidade. Por isso vão lá e espreitem.

P.S. E a simpatia e profissionalismo da Cláudia que me tratou disto tudo não podiam deixar de ser elogiados.

Solitário

(latim solitarius, -a, -um, isolado, separado, solitário)

adj.

1. Que vive no ermo; que foge da convivência; que vive longe; abandonado de todos. =

s. m.

2. Aquele que vive na solidão. = ANACORETA

3. Jóia. em que há engastada uma só pedra.
4. Jarra esguia para flores, geralmente para uma só flor.
5. [Zoologia] [Zoologia] Melro-azul.

Porque é que eu não ponho aqui o anúncio da Coca-cola:

Para já porque está mais do que espalhado pelos blogs e internet.

É sempre uma questão de perspectiva. E para aqueles que já me conhecem sabem qual aquela que eu escolho sempre.

Ainda que nem sempre faça alarde dela. Ou não o escreva todos os dias.

Este blog encontra-se:


Se eu mandasse no Mundo II

Os formulários de correio registado não tinham aqueles 4+3 quadradinhos manhosos para por o código postal. Ou então criavam uns específicos para correio internacional.

Sempre que mando cartas para o estrangeiro (e são muitas vezes acreditem! mais ainda do que aquelas que viajo) fico na dúvida se escrevo por cima daquilo, se risco, se ignoro e escrevo ao lado.
Vê-se logo que os CTT estão demasiado centrados no seu umbigo PT para olharem à volta e perceberem que aquilo não faz sentido nenhum.

Onde estás esta semana, Ana?








#13 - Campo de concentração de Auschwitz & campo de exterminação de Birkenau, Polónia.




P.S. Esta realidade foi tão dura, mas tão dura que quase me sentir mal por fotografar o que quer que fosse. Chamei-lhe a life change experience e acho que todos nós os devíamos visitar uma vez na vida para pelo menos repensarmos prioridades. E repensarmo-nos a nós próprios também.

Também deve por isso que se contorna o sistema

A blogoesfera cada vez mais comprova que os portugueses são hiper criativos quando têm de fazer face à crise.
Cada vez mais se ganha dinehiro com coisas impensáveis que até à pouco tempo nos pareceriam ridículos.
Os exemplos estão aí. É só procurar.

Se calhar não é muito!

Uma amiga minha convidou-me para fazer uma viagem pela Europa.
E o meu maior problema é que já conheço quase todas as capitais europeias que ela quer visitar. E as que faltam vão entrar na minha lista de viagens de 2012.
É triste, não é?



Só para fazer pirraça!

E no seguimento desta lógica de posts, na semana passada fui à b.muu e além de ter recebido um saco todo catita para transportar os hambúrgueres, devo confessar que os Portugal são dos melhores hambúrgueres que comi até hoje.
E só ficam no fundo da rua!
Ah! E o melhor bolo de chocolate do Mundo fica aqui mesmo ao pé de casa.

Eu vou...

... Participar!

Já me inscrevi e tudo! 

Óh Ursa, a ver se me sai na rifa alguém de jeito sim???


É...

Tentei encaixar-me numa vida que não me serve.
Agora o resultado é que tenho muitas feridas de ter estado apertada tanto tempo.
A única forma será andar nua durante muito tempo...

Não há blog como o primeiro! Tal qual o amor...

Houve um tempo em que deixei de escrever. Acho que isso acontece com todos nós. 
À medida que vamos ficando por aqui, e se já cá estivermos há alguns anos, vamos conhecendo e dando-nos a conhecer a mais pessoas e como tal chegamos a uma altura em que escrever certas coisas não nos é nada conveniente.
É um pouco como envelhecermos. Quando somos crianças dizemos tudo ainda que a verdade possa ser cruel, mas à medida que crescemos vamos sendo repreendidos e a determinada altura já não podemos dizer tudo o que pensamos. 
Talvez por isso já tenha tentado mudar de "casa" algumas vezes. Mas invariavelmente volto sempre aqui. 
Não há blog como o primeiro! Tal qual o amor...

O meu coração diz Au

São 79. O número de protões que guardo no coração. Não quero mais, ok? Não me faz falta o capacete com asas nem tão pouco quero ser vulnerável a variações de temperatura. Por vezes tentas convencer-me a abrir mão de um protão, só um. Não queres antes os 2 electrões que tenho para dar? Sabes que todo o meu corpo é teu. Podes usar o meu carbono para o que quiseres. Sei que nas tuas mãos posso chegar a diamante. Mas de facto não quero ser nenhum outro metal de transição. Poderia considerar apenas uma excepção para os fios do teu cabelo, que me conduzem a electricidade. Só teria de saltar 2 vezes para cima na tabela periódica e chegaria até ao cobre. Temos todos a mesma valência, não te preocupes. Saberei sempre o caminho de volta. Talvez queiras o tal protão porque é o defeito que mais te faz reagir, e como o fruto proibido é  sempre o mais apetecido, a platina acorda-te o brilho dos olhos. Essa prata que não o é. Não sei o que vês nela. E por falar em prata. Agradar-te-ia se desse apenas um pulo pequenino? Talvez se me sentisses mais leve e solta, me agarrasses com mais força. Queria que me puxasses para ti até sermos uma única molécula. Sei que nesse processo, deixaremos algo de nós para trás, mas valerá de certo a pena. Descobriremos que são excedentes e não fazem falta, porque atingiremos uma configuração mais estável. Quero ligações covalentes entre nós. Quero-o desde que descobrimos a química da troca de olhares e do roçar de dedos. Não é loucura, é alotropia. 


À atenção da minha futura (quase presente) colega de casa:

Estou neste momento a comer uma fatia de pão alentejano com paté de cogumelos, azeitonas e trufas acompanhada de um copo de João Pires gelado enquanto vejo o pôr-do-sol da minha janela e tento trabalhar na enormidade de tarefas que deixei pendentes em Lisboa.
Não te prometo dias cheios de ânimo ou a mais perfeita pessoa com quem possas morar, mas podes crer que teremos uma vida boa!

Isto se conseguirmos arranjar um T2 no meio desta selva que é alugar casa em Lisboa!

Onde estás esta semana, Ana?





#8 - A alguns metros do chão, London Eye, Londres.

Onde estás esta semana, Ana?


#7 - Num difícil almoço de trabalho, Praia da Torre, Oeiras

Neste momento:

Estou a rever mentalmente quem posso convidar para fazer uma coisa totalmente inusitada!

E não me ocorre ninguém. Tenho de mudar de amigos.

A minha genética irrita-me.

Nada do que eu possa aqui escrever, descreveria o que senti quando pus por escrito aquilo que não me deixaste dizer-te em palavras.

No fundo, repeti um padrão que sempre quis abolir mas que a vida teima em me mostrar que se há coisas inscritas no meu código genético esta é uma delas.

Isto sim é material de qualidade!

Quando ela me diz:
"Conheço um homem que acho que poderia ser o ideal".

Como é que começando assim eu o posso rejeitar?

Viver no século XXI é:

Eu estar em Berlim.
Ela estar em São Petersburgo.
Combinarmos um encontro em Amesterdão.
Sermos as duas de Portugal.

Onde estás esta semana, Ana?




#6 - No melhor quarto de hotel dos últimos meses, Berlim, Alemanha.

Mas também acredito...

... Que enquanto não tivermos uma justiça digna desse nome, não iremos nunca passar da cepa torta.

Eu sei que sou só mais uma voz mas...

... Juro que não me conformo com a m*** que o Jardim fez na Madeira e ainda ter de ouvir as barbaridades que ele diz.
Cada vez mais tenho vergonha de ser Portuguesa, eu que proclamo alto e bom som que sim, sou portuguesa! Eu que cada vez que vou de viagem só me apetece ter uma bandeira pendurada na mala.
Não tarda e estou a emigrar para um país que não minta e não se vanglorie por isso.

Soa mais feminino*

Gostaria muito mais de calçar os chinelos do outro do que os sapatos.


*Mas não necessariamente a mais higiénico.

Acredito ou não?

Objectivo produtivo do dia:

Consegui baixar o número do Google Reader de 300 para 100. Tem sido um dia produtivo...

Não necessariamente para a entidade patronal.

Lição ouvida ao pé da máquina de café do trabalho:

Os empregos são como os carros.


Quando são novos tudo é um espectáculo, tudo funciona bem e tu tratas de tudo lindamente.


Ao fim de algum tempo já não te importas se tem um risco a mais ou a menos e eventualmente acabas por querer mudar.


Conclusão a meio de uma traffic jam!

A maior parte dos homens portugueses devem ter uma pila mesmo muito pequena. 

Só isso explica a enorme necessidade de se armarem ao pingarelho quando conduzem. 

É a tal lei da compensação!

Coisas Boas

Surpreendo-me sempre que o meu LinkedIn me sugere pessoas com as quais tive contactos profissionais apenas uma vez e já há mais de 10 anos.

É por isso que não tomo decisões!

Quando eu finalmente, após mais de um ano de pura procrastinação, me decido a increver-me no Ginásio lá ao pé do trabalho, eis que surge sem que nada o faça prever um convite para ir trabalhar para um Ministério deste tão mal afamado Governo. 

Enquanto a coisa não se decide, vou continuado aquilo que tão bem sei fazer. 

Procrastinar.

A vida ensinou-me que:

Ninguém gosta de se sentir invadido, exposto ou reconhecido. 
Ainda que inicialmente diga que sim.

Porque sim.

Porque os dons são para serem postos ao serviços dos outros. 

Porque só assim nos realizamos.

Hoje não me apetece trabalhar muito, que querem?

Além disso isto é serviço público!


Ainda que inicialmente diga que sim.




Mais de 5 anos depois...


E estamos para ficar!

Ninguém gosta de se sentir invadido, exposto, reconhecido.

O meu problema nunca foi reconhecer os outros.


O meu problema sempre foi reconhecer os limites da intimidade deles.

Este é grátis.

Antes de ela te sorrir pisca-lhe o olho e só depois faz o teu melhor sorriso sedutor, assenta o guardanapo no colo, não arregaces as mangas nem desabotoes o colarinho, também não coloques os cotovelos em cima da mesa, pergunta-lhe o que lhe apetece beber e em seguida sugere o vinho, não fales de números nem de negócios que estás prestes a fechar, aprecia uma boa lingerie vermelha, oferece-te para a ires buscar a casa mesmo à porta, não fales do jogo do último Domingo nem dos roubos ao Sporting, prefere V.S. Naipul a Paul Auster e Leonard Cohen a Elvis Costello, não uses after shave, não fumes charutos, não a deixes sozinha na presença das mulheres dos teus amigos, não consultes os emails no telemóvel, ensina-a a jogar xadrez.

O que interessa é ser limpinho!

Há quem tenha o hábito de dar um passeio "higiénico" após o jantar. 

Eu tenho o hábito de fumar um cigarro "higiénico".

Dúvida Existencial em versão Blogoesférica - 2

Como é que se encontra alguém que já teve um blog mas que há mais de 2 anos que não aparece por lá e do qual não temos qualquer contacto?

Ondes estás esta semana, Ana?




# 3 - Sintra, Praia da Maçãs, Barmácia



Inacreditável...

... Como eu ainda fico sem resposta quando me vêm com uma conversa do dito por dito, como quem me tira o tapete dos pés.

Pensei que nesta altura da vida já teria aprendido a lidar com a coisa, mas parece que ainda não!

2 Sides or more...

Cada vez mais acho que as pessoas se definem pelas escolhas que vão fazendo.

E eu optarei sempre por ver o lado bom da vida.

Application Submitted

Department of Peacekeeping Operations - New York

Check!

Ultimamente dou por mim a riscar quase diariamente pelo menos uma coisa da famosa Bucket List que todos já fizemos alguma vez!

E sim, comprovo que sabe mesmo bem!

Às vezes...

... Acho que um dia acordarás e te irás lembrar deste passado. 
Como dizia alguém, ninguém acredita inequívoca e permanentemente. E nessa altura irás perceber que perdeste mais do que poderias ganhar. 
Espero.

Keep Moving...

Constatações de mais de 5 anos depois...

Ao ver fotos dos tempos da faculdade concluo que passei muito mais tempo a beber do que imaginava...

Ainda o dia agora começou...

... E eu concluo com uma clareza desmedida, que ao contrário do que sempre acreditei, o meu trabalho faz-me infeliz.


Time to change?

Também quero que me procurem assim...



Possivelmente estarás a dormir quando te escrevo esta carta, são 4.04 da manhã. Falei contigo hoje por duas vezes e por duas vezes tive a mesma sensação de perceber que tudo aquilo que eu quero é algo muito parecido a ti. Não sei se és tu, mas parece-me que a haver alguém com as tuas características, é essa pessoa que eu quero. Quero alguém como tu e desde que te conheci que a procuro de forma incansável, na esperança que alguém se assemelhe a ti, que se aproxime do que sinto por ti, que me saiba a ti, que me deixe a pensar-te, a imaginar-te o que fazes a esta hora, onde e como estarás. Mas isto, sem que não o percebas e não te incomodes mais, de forma a que sejamos só amigos como tu pretendes. Sejamos claros, a remax em vez de vender andares e colocar outdoors pelas cidades inteiras à procura de compradores de cimento e tijolos e cozinhas nouvelle vague ou lá o que é, devia dedicar-se ao amor e ajudar-me a procurar alguém como tu – apenas isso - de forma a que continuasses a tua vida sem que alguma vez percebesses que é a ti que eu quero e procuro. A remax, a century 21, a Era, essas imobiliárias de betão, deveriam ajudar-me a procurar alguém igual a ti, em vez de um t2 com vista para o mar, de um andar com 5 assoalhadas, de jardins sustentáveis e condomínios fechados e o diabo a quatro. O melhor vendedor da remax que se chama Nuno Gomes, se fosse mesmo o melhor da Europa como dizem que é, poderia ajudar-me nisto: A procurar alguém igual a ti, colocando em todos os outdoors de Lisboa que têm para o efeito, um anúncio em letras grandes à qual se juntaria a tua foto que diria “Procura-se mulher igual a esta”. E posto isto, deixaria o seu habitual número para lhe chegassem propostas e em todas elas, eu, com tudo o que tinha, hipotecava o que houvesse, desde o recheio da casa, à minha modesta conta ordenado, à minha roupa, aos meus haveres, às minhas acções, desde as boas às más, desde o meu quarto à sala de estar, a este escritório, a este computador, a esta camisa que uso, a este teclado com que agora te escrevo.

Procuro alguém igual a ti, peço-te ajuda para isso, não quero interromper a tua vida nem mudá-la, nem sequer fazer perder-te muito mais tempo, desde que me garantas que me arranjas alguém igual a ti. Mas tem que ser igual, exactamente igual. Promete-me isso, quero esse riso na minha vida, quero essas provocações parvas, quero esse teu voluntarismo desinteressado, quero essa cara, esses olhos, esse cabelo, esse foda-se na ponta da língua. Mas não te quero a ti que tens mais que fazer. Esta carta é um pedido de ajuda por isso, porque não é a ti que eu quero, quero isso sim, alguém como tu, alguém que nunca a Remax saberá encontrar
.










Se eu quisesse criar uma Associação...

... Onde é que eu descobria tudo o que há para descobrir sobre isso? Alguém me ajuda?


Interessa-me sobretudo aquilo que não se aprende em lado nenhum excepto pela experiência.




Muito agradecida.



Aprendizagens:

A distância permite-nos ganhar perspectiva.