Breve retrato de 2012*

* Ou de como ocupar o tempo e fazer experiências no Paint enquanto se aguarda pelo fim do último dia de trabalho de 2012!

A prova de que eu sou lixada

É que acabei de enviar um email aos meus amigos a convidar para a festa da última casa dos 20, vulgo aniversário de 29 anos, e não disse o dia.

Chamo a isso selecção natural!

C'a nojo!

Tenho 5 posts seguidos no Google Reader com o título de "Feliz Natal".

Já não se aguenta!

E eu não sou stalker!

Lembram-se disto?

Pois que o Facebook e essa coisa fantástica dos amigos em comum resolveram o mistério! Temos não só o nome, como o sector onde trabalha e graças às ferramentas internas até a morada e o nº de telemóvel.

Mas também temos lá escarrapachada a relação e tudo o mais.

Bem, pelo menos uma certeza tenho: Dá filhos lindos!



E do almoço de Natal da empresa,













Também acham que eu não falava disto?



E para ajudar a ultrapassar os maus momentos,

Hoje o jantar acompanha com este!

For me it is!


Carta aberta aos leitores deste blog:

É verdade que às vezes parece que a minha vida anda numa roda viva continuamente em tempestade.

Quem nunca passou por um momento ou uma fase um mesmo um par de anos em que tudo o que nos acontece parece que vai de mal a pior e nós achamos que o Universo se revoltou contra nós e estamos a ser as maiores vítimas do mundo?

A grande diferença neste momento da minha vida, é a forma como eu passei a encarar estas e coisas e como deixo que elas me afectem.

Não sou de ferro, choro muitas vezes, a grande maioria delas sozinha em casa e às vezes abraçada à gata que é a única que não faz perguntas estúpidas e me lambe as lágrimas com o maior dos carinhos. Não sou de ferro, mas gosto de parecer que sim.

Houve uma altura na minha vida em que me agarrava a alguém só para chorar e tirar esta angústia do peito que me consumia e à conta disso acho que a minha angústia passou toda para essa pessoa.

O facto de chorar ou de me sentir triste não faz de mim uma fraca. Muitas vezes, e por mais cliché que isto seja, faz de nós mais fortes por termos a capacidade de tirar a máscara e mostrar o que está ali por baixo.

Mas quando tiramos a máscara ficamos obviamente mais vulneráveis. Talvez por isso seja tão difícil para mim fazer isso com outras pessoas. Há um ciclo restrito que me permite fazê-lo. Mas há medida que o tempo passa o ciclo torna-se cada vez mais restrito.

Quando temos a capacidade de nos abrir com outra pessoa, o grau de confiança que se exige é superior aquele que exigimos aos que apenas convivem connosco mesmo sem nos conhecerem.

E aquele que tem o privilégio de ver alguém frágil, a pedir ajuda, a chorar as mágoas ou simplesmente a desabafar o que nos atormenta, deve estar consciente da responsabilidade que assume  Ter as fragilidades dos outros nas nossos mãos é semelhante a ser um cirurgião cardíaco com a responsabilidade de reparar um coração defeituoso.

Isso implica não só uma ética que tem de ser irrepreensível como também a capacidade de por aqueles instantes deixarmos de nos centrar em nós e sermos altruístas o suficiente para pôr o bem-estar do outro acima dos nossos defeitos, para não os apelidar de pior forma.

Acima de tudo, há um pré-requisito fundamental e que nunca pode ser quebrado. Tudo aquilo que dizemos não pode nunca ser usado contra nós.

A capacidade de ouvir e não julgar é rara. Não sei sequer se existirá. Muitas das vezes ouvimos e não falamos, ainda que o julgamento esteja implícito e na nossa cabeça. Também muitas vezes acontece que após algum tempo  constatamos que ele era errado ou estava distorcido apenas pela visão unilateral do acontecimento.

Independentemente disso, a confiança que o outro nos deposita não nos dá o direito de o julgar. Emitir uma opinião, um parecer, comunicar o nosso ponto de vista é diametralmente diferente de julgar o outro por aquilo que são apenas os nossos valores muitas vezes desprovidos das emoções que nos estão a ser comunicadas.

Acima de tudo, dizer a verdade ou aquilo que consideramos ser a verdade, não é ofender. É tentar fazer o melhor que conseguimos pela outra pessoa. E isso nunca poderá ser confundido com ofensa, mágoa ou um sentimento pior de desrespeito.

Quando eu escrevi aqui que alguém que eu considerava amigo me tinha feito sentir uma merda, não foi de ânimo leve. Não foi porque me magoou com algo que me disse. Foi porque após a análise das coisas do meu ponto de vista, do ponto de vista do outro, da racionalização da coisa cheguei sempre à mesma conclusão: fui magoada, o que em última análise me leva a uma tamanha e total falta de respeito por mim mesma.

Quando ali em cima disse que o que mudou ultimamente foi a minha forma de ver as coisas, não o disse de ânimo leve. Disse-o porque acredito que muitas vezes quando não vemos o óbvio, a vida encarrega-se de continuar a mostrar-nos o que sempre esteve lá mas nós nunca fomos capazes de enxergar. É como quando conduzimos e não vemos os sinais de trânsito e passamos o primeiro amarelo e o segundo  e o terceiro. E o semáforo passa a vermelho e nós continuamos a não ver  vamos passando incólumes até ao dia em que o grande acidente se dá. E não há forma de evitar os danos, senão assumir que não vimos o sinal e que a culpa é nossa.

A vida também funciona assim. 

Acima de tudo, importa perceber que quando alguém nos faz sentir uma merda é porque o permitimos. Mas isso nunca pode ser confundido com amizade.

E isso nunca caberá na minha definição de amizade.

Isso é que era!

A minha antiga Universidade enviou-me um email para ir a uma missa da Padroeira da dita Universidade.

E eu penso: E se em vez de o Sr. Reitor perder tempo com estas merdas me assinasse de uma vez por todas e me enviassem era o meu Diploma com a porra da prata que eu paguem e pelo qual já espero há 7 anos.

Destino:

"Em busca do destino a pessoa descobre-se a si mesma." 

 Georges Braque

Para começar bem o dia:

Demorei mais de 1h a fazer um percurso que habitualmente me demora 20 minutos!

E a juntar a isto uma bela crise de tpm.

Só para prevenir

No dia 21.12.2012 estarei de férias!
Vou gozar o último dia de férias deste ano.
Assim se o Mundo acabar mesmo ao menos que eu esteja a curtir as horas que me restam!


Aqui onde me encontro

Neva!

Eu não quero,

Eu preciso de ver isto!

Tenho saudades

De ter o coração cheio. De beijos sedentos. De noites de luxúria. De não querer adormecer. De cantar. De conversar. De discutir. De debater pontos de vista. De coisas que me esmaguem na minha pequenez humana. De doces de Natal. De fazer anos. Da minha gata. De sentir o chão a tremer debaixo dos pés. De ser seduzida. De ser conduzida. De amar. De ser amada em igual medida. De dançar. De meditar. De escrever. De cumprir sonhos. Dos amigos verdadeiros. De jantar à luz das velas. Da minha mãe. Do meu pai. Da família inteira. De me sentir EU.

Mantra:


Refresh

Ultimamente tenho feito F5 tantas vezes que me esqueço que as melhores coisas vêm sempre em carne e osso e não virtualmente.

Printstagram = Print Instagram


Eu juro que não sei como mas a verdade é que quando a maior parte das pessoas me diz alguma coisa eu já sei sempre algo sobre assunto! 
Acredito que em muitas ocasiões isto faça de mim uma das pessoas mais irritantes do grupo, mas eu juro que não tenho culpa! 
E não, não estou só a falar de cultura geral, que não é má não senhora, mas sim de coisas novas e tendências que se avistam no horizonte. 
Não é que tenha um nome badalado (“Anas há muitas, seu palerma!“). Blog nem vamos falar porque é mesmo um cantinho minúsculo que pouca gente lê (também não o ando sempre a publicitar!) mas a verdade é que tenho uma caixa de e-mail de 10GB (Avé Gmail!) e uma curiosidade inata por tudo o que é novidade. 

Pois que numa dessas demandas de curiosidade infinita caiu-me no colo informação preciosa sobre o novíssimo Printstagram. E não preciso de me alongar em grandes explicações sobre isto não é? O nome diz tudo! 
Printstagram é um novo conceito que permite imprimir as nossas fotografias tiradas com o Instagram, essa maravilhosa aplicação para iPhone e Android que veio revolucionar o mundo da fotografia. E especialmente o mundo da fotografia através dos telemóveis. 
O Printstagram imprime as nossas fotos em formato calendário com uma foto diferente todos os dias e que sugere ainda que seja colada nas paredes lá de casa, utilizada como bloco de notas ou apenas oferecida a alguém especial. 
Mas também existem outros formatos de impressão: as fotografias normais, os mini e micro livros que podem ser magnéticos e que são adoráveis, posters com um conjunto de diversas imagens mais pequenas que varia entre as 50 e as 400, formato de postal para oferecer ou enviar pelo correio ou 252 mini autocolantes para decorar tudo e mais alguma coisa. 
Mas o que verdadeiramente surpreende é a Caixa de Memórias que traz várias caixas mais pequenas lá dentro e que permite imprimir todas, mas mesmo todas as fotografias tiradas com o Instagram para que a memória nunca nos falhe. 

A única desvantagem será talvez o facto de serem uma empresa americana e como tal o pedido demorar alguns dias a chegar. Além de que há sempre o risco de ficar retido na Alfândega. Mas pelo resultado acho que vale a pena arriscar. 
E dado que o Natal está aí à porta pode muito bem ser uma excelente sugestão de presentes para toda a família e amigos. Porque toda a gente gosta de recordar bons momentos imortalizados em fotografias giras com efeitos que ainda por cima são extremamente criativos. 
Já perceberam agora porque é que eu digo que tudo o que é novidade me cai no colo? 

(Cara Printstagram se me quiseres oferecer um vale de desconto, eu aceito sim? Publicidade já fiz de borla!) 




P.S. A melhor parte foi mesmo o comentário de agradecimento que o um dos big bosses da Printstagram fez lá na plataforma!

Good morning.


Mandamentos dos Abraços

- Não adubarás a acidez e o azedume alheios 
- Não estarás para aturar a traição d@ próxim@ 
- Para fazeres os teus lutos permitirás zangar-te, sobretudo contigo e com a Vida. 
- Chorarás o que precisares 
- Ficarás triste o tempo que for preciso 
- Procurarás sempre o riso tolo e não premeditado e cultivarás a parvoíce para polir as arestas da vida 
- Não trabalharás em prol de currículos alheios 
- Agradecerás todas as críticas Construtivas (!) de braços abertos e abraçarás as mesmas, filtrarás com o cérebro e reconstruir-te-ás com o coração 
- Abraça-te a ti própria ou não conseguirás abraçar @ próxim@ e consequentemente: 
- Aceitarás os elogios que te tecerem! 
- Estarás proibida de deixar o coração ser ultrapassado pelo cérebro e consequentemente: 
- Espalharás ternura exclusivamente a quem deseja o melhor para o teu coração 
- Aceitarás exclusivamente a ternura de quem bem te apetecer 
- Obrigar-te-ás a declarar o importante às pessoas importantes sempre que bem te apetecer e for relevante 
- Deixarás que te amem com todos os teus defeitos e qualidades 
- Não absorverás fúrias…pelo que deverás reflectir de imediato sobre quem/o que as provocou 
- Acreditarás sempre que todas as pessoas têm um lado bom…(muitas não tem coragem de o mostrar, mas têm!!) 
- Viverás todos os aspectos da tua vida com paixão 
- Sorrirás muito 
- Cultivarás a abraçoterapia.


Week Mood:


E por falar em filmes



No Sábado fui ver este gratuitamente ao Cinema São Jorge, no âmbito do Festival Rotas e Rituais integrado nas Comemorações do Ano Brasil em Portugal.



Planos para hoje? Sim, tenho!



+


E hoje eu sou uma delas.

Se, como sempre me disseram, greve não é ficar em casa mas sim comparecer no local de trabalho e e não trabalhar, só vos tenho a dizer que conheço muita gente que faz greve vários dias por mês.

Ainda antes do ano acabar, estou apostada em:

Ir a Serralves ver a exposição do  Mapplethorpe .  Atravessar o rio de barco. Visitar a Sinagoga do Porto. Preparar uma supresa para a f...