Este blog perdeu O Sentido das Coisas.

Por isso este blog acaba aqui. De vez!

A todos os que me acompanharam nestes quase 6 anos e aos quase 300 seguidores do Google Reader o meu muito obrigada. 

Profundo. Sentido.

Vocês foram em muitas alturas o melhor da minha vida.  E noutras o pior.

Por causa deste blog, ganhei muitos amigos que ainda hoje me acompanham na vida real. Apaixonei-me loucamente por uma pessoa e correu muito mal (não sei se algum dia me vou perdoar por isso). E voltei a apaixonar-me outra vez e a perceber que se pode ter a mesma coisa de maneiras diferentes. E segui a vida
Por causa deste blog, fui entrevistada numa rádio que já não existe. E fui lida num programa que já não existe na Rádio que oiço hoje em dia. Tanta coisa aconteceu que poderia estar um semana seguida a pensar e linkar coisas e não sei se chegaria.

Mas a vida é feita de mudanças. E o Mundo é daqueles que sabem quando devem mudar, sem olhar para trás.

Demorei muito a tomar esta decisão. Mas ela é definitiva. Porque muitas das coisas que aqui estão são minhas, mas já não são eu. E quando nós mudamos como pessoas, não podemos ficar com coisas que não se identificam connosco apenas por saudosimo do tempo em que aconteceu.

Aqueles que quiserem continuar a caminhar comigo ao lado, terei todo o gosto em abrir a porta da casa nova e levar-vos à boleia.

Para todos os outros, os sinais continuam aí. E eu também.







Sustenido

Quase te telefonei para te dizer que eu já não sei como estar e que não é justo este terrorismo libidinal que executas perante mim. Que sonho-te na minha cama todas as noites e nem é o prazer que me move mas a doença de não te ter. E eu não te quero. Porque eu nem saberia o que fazer contigo se eu te tivesse. Mas parece errado não nos provarmos uma vez que seja, mesmo que isso nos condene aos dois para sempre. Tudo está errado, podemos errar juntos.

E agora para algo completamente diferente

Como é que quase aos 30 anos se engata um colega de trabalho, num universo de 8 edifícios e cerca de 1.000 colaboradores?

Da saga do vizinho,

Tenho a dizer que desisti.
Demasiados sinais a dizer que não era por ali fizeram-me desanimar até ao ponto em que não pretendo tentar mais nada.
Moral da história: Vou começar a olhar para as janelas do outro lado.

Pinto Quotes #2

Eu ignorei o vinho branco durante demasiado tempo na minha vida.

O que vale é que é Carnaval e ninguém leva a mal!

Isto na continuação da saga do vizinho, no Sábado de madrugada quando cheguei a casa só tinha lugar para estacionar mesmo à porta do prédio dele.
Eis senão o meu espanto quando no Domingo ao sair com a minha colega de casa reparámos que o prédio dele tem 6 andares em vez de 5 como o nosso.
E quando ela diz isto soa automaticamente uma campainha na minha cabeça que me diz: F***, eu meti a carta no 2º andar e ele afinal mora no 3º!

I'm in trouble!

Agora é esperar

Que eu tenha acertado na caixa do correio e a mensagem não tenha ido parar a nenhum pai de família!

Ele até pode ser gay, mas é também muito mais solitário do que eu

Hoje jaz naquela que eu creio ser a caixa de correio do vizinho um bilhete que reza assim:

"Caro vizinho,
Se algum dia sentires curiosidade, vontade e/ou necessidade há uma garrafa de vinho para partilhar no 2º andar do prédio em frente (Nº 14).

A vizinha Ana"

Aguardamos actualizações.

Será bom ou será mau?

Começar o dia a ser galada por 2 polícias.

Antes que isto dê logo na SIC!

E para que depois não me chamem "copiona" (sempre adorei este termo!) aqui fica uma pérola que deve ser vista!


A História mostra isso:

Na maioria das vezes, e infelizmente, Proteger é sinónimo de Dominar.