A vida em pequenos detalhes.

Eu costumo afiançar à boca cheia que lá em casa é só fêmeas e menino não entra!

Sei na maioria dos casos que isso mais não é do que uma forma pessoal de dizer que tenho medo que um dia me entre pela porta adentro um amor tão grande que eu própria não saiba o que fazer com ele. Tenho medo de me perder de amores e ao mesmo tempo perder-me a mim própria nesse amor.

Sei também que esse medo advém do facto de já me ter perdido vezes suficientes anteriormente e ter demorado o dobro do tempo a voltar a reencontrar-me no emaranhado de cacos que o meu coração partido espalhou pela minha casa e vida fora.

Mas percebo também que é desejo inegável, essa vontade de voltar a sentir o coração na boca, palpitações a meio da noite, ser acordada com beijos, ter direito a pequeno-almoço na cama, dormir encaixada (ai a falta que eu sinto disto!) e decidir mais uma vez que desta é que é. A vida toda espera-nos lá ao fundo de mão dada com a curva do destino.

O equilíbrio que finalmente fui capaz de alcançar sozinha na minha concha vai ser irremediavelmente abalado. Sei que será apenas uma questão de tempo, circunstâncias e serenitude suficientes para deixar que a vida aconteça.

Até lá, o primeiro passo está dado. Permiti que me entrasse em casa o primeiro macho. E não osbtante ainda, dei-lhe lugar de destaque na parede da minha sala.



Comentários

A Chata disse…
Todos nos queremos perder de ou por amor.

Atira-te.
E que belo macho :)
Ana V. disse…
Aiiii (Suspiro profundo!)
Este texto podia ter sido escrito por mim. :)
Mas a mim ainda falta o macho em foto ou sem ser em foto!

Mensagens populares deste blogue