Dos envelopes lacrados:

lxi 

ajusta as velas, meu amor. a roda da minha saia diz-me que o vento boceja a estibordo. não encolhas os ombros, não me digas que não estamos em mar alto, o mundo é este quarto a sul. a rota desenhada na tua cervical, a bússola presa nos meus lábios. ajusta as velas, meu amor. esta cama ainda é o bote salva vidas que nos resta.


Comentários

Cat disse…
:) bonito!

Mensagens populares deste blogue

Porto (de Abrigo)

Eu:

Cabe-nos a nós fazer melhor!