Casa-te com um homem que...

Casa-te com um homem que se deite no teu colo, de um jeito meio despreocupado, meio desajeitado, meio de quem pede ajuda porque o chefe é um chato e as coisas só dão certo porque ele tem a tua companhia no fim do dia. Não escolhas alguém que faz tudo por ti, que vive por ti, que faz todos os teus caprichos. Sabes porquê? Porque um homem desses deixaria de ser dele para ser teu, esquecer-se-ia da vida dele para viver a tua e, cá entre nós, tu queres somar, não é? Ou queres alguém que viva por ti, não contigo? Por isso mesmo é que tu deves escolher alguém que traga um novo mundo para juntar ao teu e que te mostre como os teus planetas ainda podem ser desalinhados de uma forma bonita.

Casa-te com um homem que te desperte. Da cama, do medo, dos pesadelos. Que te beije na testa com ternura e faça cafuné, mesmo sabendo que tu odeias que enrolem o teu cabelo. Um homem desses que despenteiam, desses que deixam uma desorganização bonita em ti. Escolhe alguém que te escreva (e te leia) nas entrelinhas. Escolhe um homem, um rapaz, seja lá o que for o teu termo preferido, que tenha um olhar que não te atravesse. Alguém que vai olhar para ti e ver quem tu és, sem construções idealizadas ou suposições construídas na fantasia. Sem olhares que atravessam e se desviam, que não encontram os teus olhos e caminham pelo teu corpo. Escolhe os olhos daquele que sustenta o mundo quando te olha. Ele tem que ser forte, e talvez a força dele seja essa de te ajudar a dividir o peso do mundo nas costas, de te ligar no almoço para dizer que te ama e que nunca se esqueceu de ti.

Escolhe um homem que se vá emocionar quando te vir a entrar na igreja. Mas que também se emocione ao ver-te acordar de pijama. Que te ache linda independentemente do teu manequim e que se orgulhe de ti pelas tuas conquistas do dia-a-dia, até aquelas pequenininhas como conseguir passar do primeiro dia da dieta. Casa-te com um homem que vá rir de ti quando tu fizeres um escândalo por teres partido a unha ou por teres furado o dedo ao pregar um quadro na parede. Ele tem que ser do tipo que sabe que tu és independente e não precisas dele, mas ainda assim vai aprender alguma receita no Google para te tentar impressionar. Valoriza um homem pelo esforço dele, não só pelo resultado final. Tu vais perceber que um homem que se esforça para te ver feliz é um homem que vale mais do que qualquer príncipe encantado que a Disney tentou vender-te como homem perfeito. Desconfia de um homem sem defeitos. E aprende: tipos perfeitos como os dos livros infantis não existem. O que existe são homens que, do seu modo, te conquistam e fazem pender a balança para o lado das qualidades, enquanto tu aprendes a lidar com os defeitos. 

 Deseja um rapaz que seja louco. Não por ti, mas pela vida. Gente louca pela vida gosta de explorar o mundo, a cidade, a rua de cima, o novo restaurante japonês e tudo mais, Gente que é louca pela vida entende bem o significado de liberdade, companheirismo, amizade e todos esses sentimentos que só quem gosta de viver entende. Deseja um rapaz que faz tu te apaixonares sempre que ele fala da forma como o mundo dele mudou desde que tu chegaste.

Por fim, mas não menos importante, casa-te com um homem que te ame em detalhes. Nos cartões das flores, na careta da selfie, na camisa fora de moda que a mãe lhe deu de presente, na vez em que ele percebeu que tu tinhas cortado o cabelo antes de tu falares, nas encomendas de comida às duas da madrugada quando ele percebe que tu estás a morrer de fome e não queres saber mais da dieta, no anti-alérgico que ele carrega na carteira caso tu precises. Casa-te com quem te faça sentir que este texto é pouco para falar dele e te dê vontade de continuar a escrevê-lo, mesmo que tu não sejas lá muito boa com palavras, mesmo que tu só saibas definir o que sentes por ele como amor."


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Tal como agora.