Podes até nem fazer ideia...

Mas o preciso momento em que tudo acabou, foi quando decidiste ir embora para outro país e deixar-me cá, grávida de 8 meses, sozinha, infeliz e insegura com tantas coisas que estavam a acontecer à minha volta...

Comentários

Anónimo disse…
A sério que ele fez isso?! Mesmo que fosse para conseguir um emprego melhor nunca a deveria ter deixado sozinha e nesse estado. Fui eu que fiz aquele comentário sobre o facto de ter seguido em frente e não ter ficado presa ao passado, há dias. E ainda bem que o fez, com um companheiro desses... espero que o seu próximo amor seja melhor! :-)
Calíope disse…
Eu pensei que essa saída de cena tinha sido de mútuo acordo, só assim teria sido aceitável. Na altura, achei meio estranho, confesso, mas cada um sabe de si e opinar de fora é sempre muito mais fácil. De qualquer modo, mesmo que retro-activamente é óptimo que estejas a fazer essa análise crítica. Beijinhos.
Ana I. Azevedo disse…
Car@ Anónimo,
Prefiro tão mais um nome!
À parte disso, sim fez. Com a ideia que de ir atrás de um emprego que perseguia e com a ilusão e a ingenuidade de que no fim estaríamos juntos e sem perceber que aquele foi o momento em que tudo quebrou.
Ainda assim obrigada pelas palavras. Embora neste momento não ande atrás de um amor mas sim atrás de um flirt!
Ana I. Azevedo disse…
Calíope,
Eu também tinha a ilusão que tinha sido, até me confrontar a mim própria com isso e perceber que a decisão me foi comunicada e eu não fui tida na discussão.
Obrigada pelo apoio. Valha-me a psicoterapia para perceber aqui uma data de coisas!

Mensagens populares deste blogue

Eu:

Porto (de Abrigo)