Estou tão tramada contigo...

Lembro-me perfeitamente de te ter perguntado quais os teus amuletos numa das primeiras conversas que tivemos, daquelas que me estimulam a alma quanto os teus dedos me estimulam o corpo. Lembro-me do teu ar perplexo como quem diz que nunca parou para pensar nisso. Ainda imaginava na altura se trarias no corpo tatuadas todas as mágoas que trazes tatuadas na alma.

Até que me me dizes que não se pode ser água e fogo ao mesmo tempo. E eu te respondo que não, mas pode ser-se fénix, que é precisamente o amuleto que trazes entranhado em ti, por dentro e por fora de tudo o que te compõe.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Tal como agora.